Arenas das Empresas, Resultados

Lucro da Cetip cresce 17% no 4º trimestre e 15% no ano

cetip_títulos_custódia

A Cetip, empresa de liquidação e custódia de títulos privados, divulgou hoje seus resultados relativos ao quarto trimestre do ano passado, com um lucro de R$ 150,5 milhões, 17,6% superior ao do mesmo período do ano passado. A receita bruta atingiu R$ 398,9 milhões, 12,2% maior que no quarto trimestre do ano anterior. Já a receita líquida foi de R$ 334,8 milhões, 14,3% maior que em 2015. As despesas operacionais somaram R$ 99,2 milhões, com aumento de 11,9% sobre 2015.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortizações (Ebitda ou Lajida) ajustado foi de R$ 235,6 milhões no trimestre, 15,3% superior ao do ano anterior.

Resultado no ano cresce 15%

Com isso, no ano,  lucro líquido contábil atingiu R$ 572,6 milhões, 15,1% superior na comparação com 2015. A receita bruta de serviços foi de R$ 1,5 bilhão, o que representa um aumento de 13,4% em relação a 2015. Já a receita líquida da companhia atingiu R$ 1,3 bilhão, com aumento de 14,3% no ano, enquanto o Ebitda ajustado somou R$ 912,3 milhões, 15,4% acima de 2015.

“Em 2016, cumprimos nosso objetivo de manter o crescimento das despesas operacionais abaixo do crescimento da receita, o que levou a um aumento da margem de Ebitda, de 70,2% para 70,9%”, afirma Willy Jordan, diretor-executivo Financeiro, Corporativo e de Relações com Investidores da Cetip. As despesas operacionais ajustadas somaram R$ 374,6 milhões no ano, com expansão de 11,8% em relação a 2015. “Por sua vez, o avanço da receita líquida foi reflexo do crescimento da receita bruta consolidada no período e dos benefícios obtidos com a mudança dos escritórios para Barueri”, completa.

Títulos e valores mobiliários

A Unidade de Títulos e Valores Mobiliários (UTVM) obteve receita bruta de R$ 1,1 bilhão em 2016, com aumento de 18,1% em comparação ao ano anterior. O resultado foi impulsionado pela receita de ativos em permanência, que totalizou R$ 514,0 milhões, 31,1% superior ao acumulado de 2015; e pela receita de utilização mensal, que somou R$ 226,8 milhões, 19,5% a mais do que no ano anterior.

Gravames

A Unidade de Financiamentos (UFIN), que inclui os registos de gravames de carros financiados, que vinha sendo impactada pelo fraco desempenho das vendas e financiamentos de veículos, apresentou no quarto trimestre os primeiros sinais de recuperação.

A receita bruta no último trimestre foi 9,2% maior do que no quarto trimestre de 2015, contribuindo para que a UFIN acumulasse em 2016 uma receita bruta 2,7% maior do que em 2015, alcançando R$ 423,5 milhões.

As vendas de veículos novos e usados no país recuaram 20,9% e 0,1% no ano, respectivamente, e o índice de penetração dos financiamentos sobre o total de veículos vendidos passou de 30,6% em 2015 para 28,2% em 2016, uma retração de 2,4 pontos percentuais. Jordan também destacou que “no último trimestre de 2016 o número total de veículos vendidos apresentou resultado estável em relação ao mesmo trimestre de 2015, interrompendo uma sequência de quedas nas comparações ano-contra-ano trimestrais”.

Para Jordan, 2016 foi um ano desafiador no qual, apesar do cenário macroeconômico adverso, a Cetip desenvolveu importantes projetos, aos quais a empresa continua se dedicando. “Na UTVM, voltamos nossos esforços para a captura de ganhos de eficiência e agilidade no mercado de renda fixa por meio de diversas inciativas, dentre as quais se destaca o Cetip InfoHub”, diz. Na UFIN, vale destacar a Cetip Plataforma Imobiliária, que vai facilitar o registro de contratos de financiamento imobiliário no mercado, explica o executivo.

Parceria com a Abecip

A Cetip continua trabalhando para se tornar a solução de mercado no segmento e, tendo em vista a entrada em vigor da Resolução 4.088 do Banco Central para financiamentos imobiliários, prevista para março de 2017, assinou um acordo com a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) que padroniza e facilita a adesão aos produtos da Plataforma Imobiliária pelos clientes do setor, afirma o executivo.

Outro destaque da companhia no ano de 2016 foi o lançamento do Foresee, programa de inovação e aceleração de startups no qual são oferecidos benefícios para empreendedores que vão desde a ajuda com custos até conexões com parceiros de mercado, acompanhamento de mentores e disponibilização de ferramentas e metodologias. Com esta iniciativa a Cetip busca se aproximar das novas tendências tecnológicas relacionadas a fintechs, big data e TI/Telecom, diz a empresa.

Dividendos e juros sobre capital próprio

Em 21 de dezembro de 2016, o Conselho de Administração da Cetip aprovou o pagamento de juros sobre o capital próprio relativos ao quarto trimestre no valor de R$ 29,4 milhões, equivalentes a R$ 0,1129 brutos por ação, pagos em 8 de fevereiro de 2017. Adicionalmente, o Conselho aprovou, em 14 de fevereiro de 2017, a distribuição de R$ 98,6 milhões (R$ 0,3790 por ação) sob a forma de dividendos intermediários, a serem pagos a seus acionistas em 08 de março de 2017. A distribuição total de dividendos e juros sobre o capital próprio relativos a 2016 totalizará R$ 486,7 milhões, o que representa 85,0% do lucro líquido registrado no período.

 

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo