Empresa quer lançar bolsa para pessoa física investir em dívida de empresas em 2016

Investidores que queiram se arriscar no mercado de crédito podem ter, a partir do ano que vem, uma bolsa eletrônica de recebíveis de empresas. O projeto é da Intoo, plataforma on-line que ajuda pequenas e médias empresas a antecipar recebíveis e obter empréstimos de bancos, fundos e factorings. Segundo Arthur Farache, diretor-executivo, a ideia é lançar a bolsa no começo do ano que vem. A Intoo facilita o contato entre empresas e bancos e fundos de recebíveis, fazendo análise de crédito e dando cursos para pequenos empresários se estruturarem.

CVM regulamenta oferta pública de Certificados de Operações Estruturadas, o “CDB mutante”

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) regulamentou ontem a oferta pública de Certificados de Operações Estruturadas (COE), papéis emitidos pelos bancos que podem oferecer rendimentos com base nos mais diversos mercados, como ações, moedas estrangeiras, juros e índices. Os papéis são garantidos pelo banco, como os CDB, com o diferencial de poderem se transformar em qualquer coisa, desde uma aplicação em dólar, ações ou índices ou multiplicar os ganhos da renda fixa tradicional, ou ainda garantir o principal aplicado em bolsa ou dólar, usando para essa “mutação” operações de derivativos.

“Ataque especulativo” faz empresa brasileira pagar até 15% ao ano no exterior; gestor sugere intervenção

A alta dos juros dos papéis de empresas brasileiras no exterior, provocada por um ataque especulativo contra o país, está limitando as emissões no mercado local e justificariam uma ação do governo via Fundo Soberano para conter a especulação, afirma André Leite, gestor e sócio da TAG Investimentos. Segundo ele, o mercado internacional está totalmente distorcido, com bônus da Petrobras pagando 15% ao ano em dólar e, do Bradesco, 7% ao ano. As taxas são atrativas para o brasileiro que puder comprar os papéis lá fora, avalia.

“RDB Direto”: portal facilita aplicação em títulos de renda fixa de financeiras e bancos menores

As financeiras copiaram o Tesouro Direto e lançaram um portal para concentrar e facilitar a aplicação das pessoas físicas em papéis de renda fixa. O portal Poupa Brasil foi criado pela Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Acrefi) e oferece aplicações diretas em Recibos de Depósito Bancário (RDB) emitidos por 11 financeiras e bancos associados. As aplicações começam a partir de R$ 1 mil e são distribuídas entre as 11 instituições. Como são casas menores, os juros pagos são maiores que os oferecidos nos grandes bancos de varejo. O sistema permitirá diversificar as aplicações até R$ 1,1 milhão com garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

Apesar do prazo mínimo de 90 dias, vantagens das LCI e LCA continuam, dizem especialistas

A criação de prazos mínimos de 90 dias para Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e do Agronegócio (LCA) não deve alterar muito as vantagens dessas aplicações, segundo especialistas do mercado. A maioria dos bancos já oferecia papéis com prazo mais longo, aproveitando a menor quantidade de LCI e LCA no mercado.

Anbima propõe prazo de 1 ano para LCI e 90 dias para LCA e pede adiamento de regras de fundos

Segundo Denise Pavarina, presidente da Anbima, a ideia é que o governo continue incentivando os setores que considera importantes, mas passe a exigir um prazo de um ano para as LCI e de 90 dias para as LCA. Além disso, defende mudanças nas regras que definem quais empréstimos imobiliários podem ser usados como lastro para as LCI, tornando-as mais rígidas. A Anbima negocia com a CVM também o adiamento da entrada em vigor das novas regras para fundos previstas na instrução 555, de julho para outubro.

Isentas de IR, aplicações em LCI cresceram 45% em março, mostra Cetip

A busca dos investidores por opções de renda fixa isentas continuam turbinando as aplicações em Letras de Crédito Imobiliário (LCI). Em março, as novas aplicações em LCI registradas na Cetip totalizaram R$ 16,7 bilhões, 45% a mais em relação ao mesmo mês do ano passado. No final de março, o total de LCIs em estoque na Cetip, ou seja, o volume que está na carteira de investidores, excluindo as aplicações já vencidas ou resgatadas, alcançou R$ 170,5 bilhões, crescimento de 53% em relação a março do ano passado.

Receba nossas novidades no seu e-mail.
Enviar