Arena Previdência, Previdência Privada

Minha Casa puxa venda e lançamentos no 1º semestre, diz Abrainc; distratos são 50% na alta renda

gafisa_tenda_imoveis

De acordo com informações de empresas associadas à Associação Brasileira de Incorporadores e Imobiliárias (Abrainc), os resultados consolidados do 2º trimestre de 2017 apontam crescimento de 3,9% nos lançamentos e de 5,0% nas vendas de imóveis novos, na comparação com o mesmo período do ano anterior. Os números foram impulsionados pelos projetos de baixa renda do Minha Casa, Minha Vida. Na alta renda, continua a retração e o volume elevado de distratos, de quase 50% das vendas.

Hoje, números da Abecip mostraram que continua a queda dos preços dos imóveis, segundo dados dos bancos que fazem crédito imobiliário. Mas o ritmo de queda está mais lento.

A recuperação dos indicadores no trimestre encerrado no mês de junho se dá após os resultados negativos registrados nos três primeiros meses deste ano, entre os quais se destaca a queda no número de lançamentos (-12,9%) e de unidades vendidas (-3,6%), ambos em relação ao 1º trimestre de 2016.

Minha Casa, a todo vapor

Por segmento, os resultados do 2º trimestre reforçam o desempenho distinto dos empreendimentos residenciais de médio e alto padrão (MAP) em relação aos empreendimentos residenciais vinculados ao programa Minha Casa Minha Vida (MCMV).

Os lançamentos de empreendimentos MAP recuaram 22,6% no segundo trimestre de 2017, enquanto as vendas do segmento acumularam queda de 15,8%, frente ao mesmo período de 2016. Nos últimos 12 meses, os lançamentos e vendas de empreendimentos MAP mantêm queda de 15,9% e 19,0%, respectivamente, frente aos 12 meses precedentes.

Minha Casa puxa mercado

Seguindo uma trajetória distinta, o número de lançamentos residenciais do programa MCMV aumentou 12,3% no 2º semestre de 2017, tendência acompanhada pelo avanço nas vendas do segmento (+26,6%), em relação ao 2º trimestre de 2016.

Os indicadores no período reforçam a avaliação dos últimos 12 meses, que inclui aumento de 8,5% nos lançamentos e de 24,3% nas vendas do segmento, na comparação com os 12 meses precedentes.

Distratos representam 39,8% das vendas em 12 meses

Considerando todos os segmentos, foram registrados 39,8 mil distratos, nos quais o comprador devolve o imóvel e pede o dinheiro de volta, nos últimos 12 meses (17,8 mil somente na primeira metade de 2017), volume que corresponde a 38,4% das vendas de imóveis no período.

Distratos de 49,7% na alta renda

Por segmento, a relação entre distratos e vendas de empreendimentos MAP manteve-se em torno de 49,7% nos últimos 12 meses, enquanto o percentual do segmento MCMV foi de 21,6%, para o mesmo período. Levando-se em conta a safra de lançamentos mais antiga na série histórica (1º trimestre de 2014), a proporção de distratos entre as unidades vendidas do segmento MAP, de alta renda, encerrou o primeiro semestre em 24,7%, patamar que supera em 4,7 pontos percentuais o indicador para a mesma safra de empreendimentos do programa MCMV (20,0%).

Artigo AnteriorPróximo Artigo