Arena Previdência, Planejamento Financeiro

Joesley e Saud se entregam à PF em São Paulo; em nota, afirmam que não mentiram

delacao_de_joesley_batista2

O empresário Joesley Batista, sócio da J&F, dona da JBS, e o ex-executivo da empresa, Ricardo Saud, se entregaram hoje, às 14 horas, na sede da Polícia Federal de São Paulo. Eles se anteciparam à ordem de prisão expedida pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, após pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que pediu a revogação do acordo de delação premiada fechado com o empresário.

A prisão ocorre após a revelação de gravações feitas por Joesley em que ele conversa com Saud e diz que a delação teve a participação do então procurador da República Marcelo Miller. Joesley fala também que não vai contar tudo que sabe para a Procuradoria, o que foi visto por Janot e por Fachin como motivos para rever a imunidade prometida no acordo de delação.

Joesley e Saud devem ficar presos por cinco dias, preventivamente. Devem ser agora transferidos para Brasília. A prisão pode ser prorrogada apenas se surgirem fatos novos, deixou claro Fachin.

Não desceu redondo: procurador explica foto em bar

Já o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, esclareceu a foto publicada pelo site O Antagonista na qual aparece em um bar com o advogado de defesa de Joesley, Pierpaolo Bottini. O encontro teria ocorrido no sábado, em Brasília. Segundo a nota da Procuradoria-Geral da República, Janot “frequenta o local rotineiramente” e “não foi tratado qualquer assunto de natureza profissional, apenas amenidades que a boa educação e cordialidade prezam entre duas pessoas que se conhecem por atuarem na área jurídica”.

janot_joesley_advogado_bar

Nota da defesa de Joesley

Em nota, a defesa de Joesley e Saud, da J&F reafirmam que não mentiram nem omitiram informações no processo e que estão cumprindo o acordo. Afirmam também que em todos os processos entregam os anexos e provas à Procuradoria e depois são chamados a depor. E dizem que ainda não foram ouvidos neste caso. No dia 31 de agosto, além dos áudios, a defesa diz que entregou uma série de anexos complementares e que os dois aguardam serem ouvidos.

A seguir, a íntegra da nota:

“Joesley Batista e Ricardo Saud se apresentaram voluntariamente à Superintendência da Polícia Federal, na tarde de hoje, em São Paulo.

Joesley Batista e Ricardo Saud reafirmam que não mentiram nem omitiram informações no processo que levou ao acordo de colaboração premiada e que estão cumprindo o acordo.

Em todos os processos de colaboração, os colaboradores entregam os anexos e as provas à Procuradoria e depois são chamados a depor. Nesse caso , Joesley Batista e Ricardo Saud ainda não foram ouvidos.

No dia 31 de agosto, cumprindo o prazo do acordo, além dos áudios, foi entregue uma série de anexos complementares, e os dois colaboradores ainda estão a espera de serem chamados para serem ouvidos.

O empresário e o executivo enfatizam a robustez de sua colaboração e seguem, com interesse total e absoluto, dispostos a contribuir com a Justiça.”

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo