Arena Especial, Ouro

Sai de baixo: ouro despenca e Credit Suisse prevê onça a US$ 1.100 em um ano

juros_bolsa_inflação_ações_dólar_economia_investimentos

O ouro, que já caiu 17% este ano, pode cair mais 20% em 12 meses com a inflação se mantendo comportada e os grandes riscos para a economia global diminuindo. A avaliação é do banco Credit Suisse (CS). O banco estima que o ouro, negociado hoje no mercado à vista perto de US$ 1.390 a onça-troy (31,104 gramas) pode cair para US$ 1.100 a onça em 12 meses e para menos de US$ 1 mil em 5 anos, segundo reportagem da Bloomberg.

Segundo o autor da análise, Ric Deverell, que falou à imprensa hoje em Londres, a queda dos preços não deverá levar os bancos centrais a comprarem o metal. Ele trabalhou por 10 anos no Banco Central da Austrália antes de ir para o CS. Às 16h45, o metal estava em queda de 0,31%, negociado a R$ 1.388,70 a onça.

Metal esmagado

“O ouro vai ser esmagado”, resumiu o analista. “A necessidade de comprar ouro para proteção de patrimônio caiu e a probabilidade de a inflação subir nos próximos um a três anos é significantemente pequena”, acrescentou.

O ouro chegou a ser negociado a US$ 1.921,15 a onça em 2011, no auge da crise da Grécia e da discussão dos problemas fiscais dos Estados Unidos. De acordo com Deverell, o metal deverá cair para US$ 1.350 nas próximas semanas. Ele admite que os bancos centrais, que diversificam parte de suas reservas em ouro e aumentaram suas aplicações recentemente no metal, vão perder dinheiro com a queda.

A estimativa o Fundo Monetário Internacional (FMI) é que os bancos centrais compraram no ano passado 534,6 toneladas métricas de ouro, o maior volume desde 1964, e este ano caminham para adquirir 550 toneladas, segundo o Conselho Mundial do Ouro.

“Quando o ouro está subindo, parece uma boa ideia comprar mais ouro”, diz Deverell. “Mas quando está caindo, vocês acham que os conservadores bancos centrais vão tentar segurar uma faca caindo de ponta?”

O CS se junta assim a outras casas que já vaticinaram a queda do ouro recentemente. O banco  Goldman Sachs divulgou em abril uma previsão de que a onça do ouro cairia para US$ 1.390 em 12 meses e o Deutsche Bank previu uma queda para US$ 1.050.

Caixa lançou fundo de ouro em março

No Brasil, onde os preços do ouro são influenciados também pelo dólar, o metal acumula queda de 17,5% no ano até ontem, 4,7% neste mês, segundo o site Onde Investir.

O ouro não é uma aplicação muito popular no Brasil, devido às dificuldades para revenda e questões de segurança para guardar o metal. Por isso, os investidores locais escaparam da “febre do ouro” dos últimos anos.

Em março deste ano, ainda no embalo da alta do ouro, Caixa Econômica Federal criou um fundo de varejo, com aplicação mínima de R$ 5 mil, para investir no metal. Em março, a carteira rendeu 1,2%, mas em abril, perdeu 7,1% e neste mês, até dia 14, perdia mais 3,2%.  No ano, a perda é de 9%, segundo dados da Economática. O fundo tem patrimônio de R$ 14,6 milhões e 334 cotistas.

Artigo AnteriorPróximo Artigo
Receba nossas novidades no seu e-mail.
Enviar