Arena Especial, Imóveis

Preço dos imóveis tem maior aumento em 14 meses, mas perde para a inflação, aponta FipeZap

imoveis_casas_imobiliário_predio_casa_residência

O Índice FipeZap, que avalia o preço de venda dos imóveis em 20 cidades brasileiras, apresentou variação de 0,12% na passagem de agosto para setembro. Apesar de baixo, o percentual é o melhor desde julho do ano passado, ou seja, o mais alto em 14 meses. No acumulado de 12 meses, o indicador registra alta de 0,22%. Em São Paulo, houve baixa nos preços de 0,04%, acumulando no ano 0,28% de aumento e, em 12 meses, de 0,58%.

Oito das vinte cidades pesquisadas apresentaram variação negativa no mês, enquanto as demais apresentaram elevação. Mas, em oito das cidades pesquisadas, o aumento dos preços em setembro superou a inflação esperada para o mesmo período, de 0,24%, apontada no Boletim Focus do Banco Central. No Rio de Janeiro, houve alta de 0,09%, depois de recuo de 0,18% em agosto. No ano, o mercado carioca apresenta queda de 1,90% e de 2,83% em 12 meses.

Queda real de preços de 7,88%

Avaliando a alta nos últimos 12 meses e considerando uma inflação esperada de 8,79%, o preço médio anunciado do metro quadrado apresentou queda real de -7,88%. Todas as cidades que compõem o Índice FipeZap registraram variações iguais ou inferiores à inflação nessa mesma base de comparação, sendo que os preços no Rio de Janeiro, Recife, Niterói, Distrito Federal e em Goiânia apresentaram queda nominal.

Rio, cidade mais cara

No mês de abril, o valor médio anunciado do metro quadrado das 20 cidades foi de R$ 7.644. Rio de Janeiro se mantém como a cidade com o metro quadrado mais caro do país (R$ 10.232), seguida por São Paulo (R$ 8.612). Já os dois municípios com menor preço por metro foram: Contagem (R$ 3.612) e Goiânia (R$ 4.133).

Artigo AnteriorPróximo Artigo