Arena Especial, Ouro

Ouro ganha fôlego com crise na Ucrânia e sobe 6,4% em 30 dias

juros_bolsa_inflação_ações_dólar_economia_investimentos

Os preços do ouro ganharam fôlego nas últimas semanas em meio à tensão envolvendo a Ucrânia e a Rússia. Na segunda-feira, quando o receio de uma ação militar russa para garantir o controle da região da Crimeia chegou ao seu ponto máximo, o metal fechou a US$ 1.350,61 a onça-troy (31,104 gramas) no mercado à vista americano, o valor mais alto em quatro meses, com ganho de 1,83% em um dia.

O ouro é visto como uma opção mais segura em momentos de crise econômica ou guerras, que afetam o valor das moedas. Hoje, com o ambiente político um pouco mais calmo, o metal recuou para US$ 1.338,20, mas mesmo assim acumula alta de 6,40% em relação à cotação de 3 de fevereiro, quando era negociado a US$ 1.257,65.

No ano, o metal acumula alta de 11,36% em relação ao fechamento de 31 de dezembro de 2013, de US$ 1.201,64 a onça. A alta do ouro no ano reflete também os dados mais fracos da economia americana neste começo de ano, que reduzem a alta dos juros americanos e tiram a força do dólar.

Apetite chinês

A demanda chinesa também ajuda a puxar os preços, com um total de 8 toneladas compradas em janeiro, mais que o total adquirido em janeiro e fevereiro do ano passado, segundo dados da Bloomberg.

A explicação para esse maior apetite pode ser a preocupação com a saúde do sistema financeiro chinês, que este ano já passou pelos apuros de uma quebra de um fundo (truste) que oferecia investimentos em papéis de uma empresa de carvão que faliu. O fundo foi socorrido por um banco oficial, mas há milhares de carteiras parecidas que formam um sistema financeiro paralelo e sem fiscalização do governo.

Há também a preocupação dos chineses com uma alta da inflação e uma maior desvalorização da moeda do país. O governo chinês anunciou esta semana que vai ampliar a banda de flutuação do yuan, o que deve permitir que a moeda perca valor em relação ao dólar para incentivar as exportações do país.

Grama em alta na BMFBovespa

No Brasil, o grama do metal negociado na BM&FBovespa ajustou-se hoje à alta internacional, depois do feriado do Carnaval. O grama do ouro subiu 0,51%, para R$ 99,20, ante R$ 98,70 de sexta-feira. No ano, a alta do ouro é de 9,61%. No Brasil, os preços são influenciados também pela oscilação do dólar, uma vez que o metal é cotado pela moeda americana.

Artigo AnteriorPróximo Artigo