Arena Especial, Gestão de Patrimônio

Mães vão ganhar mais presentes este ano, mas escolha será pelo preço, aponta SCPC

shopping_venda_lojas_varejo_consumo
Se em anos anteriores o desejo ou a necessidade ou utilidade do presente eram os principais atributos observados pelos consumidores no momento de decidir pela escolha do presente para o Dia das Mães, em 2017, o fator preço desbancou as opções anteriores. A constatação é da Boa Vista SCPC, em sua pesquisa sobre o comportamento do consumidor realizada de 5 a 27 de abril, com 600 entrevistados, de todo o Brasil.
A pesquisa também observou um crescimento de 6 pontos percentuais na intenção dos entrevistados em de fato comprar presentes para este Dia das Mães, na comparação com 2016. Entretanto, quase metade disse que irá gastar a mesma quantia do presente do ano passado. 
De olho nas pechinchas
 
O atributo “preço, promoção ou desconto” registrou um crescimento de 17p.p. (pontos percentuais), passando de 26% para 43%, em comparação a 2016, seguido da “necessidade/utilidade de quem irá ganhar o presente” e da “qualidade”, com 20% das menções, respectivamente. Em quarto lugar os entrevistados disseram que vão levar em consideração “desejo da pessoa que irá receber o presente” (12%). Em 2016 o “preço, promoção ou desconto” ocupou a terceira posição, atrás de “desejo” e “necessidade/utilidade”. A imagem abaixo resume os dados.
Valor médio de R$ 197
Coincidentemente, o valor médio dos presentes de um ano para outro se mantém em R$ 197. No entanto, entre os que disseram que irão gastar na faixa de preço de até R$ 200, houve um aumento de 48% para 55% entre os que irão comprar itens com valores de até R$ 100.
 
A pesquisa da Boa Vista também constatou que 32% pretendem comprar dois ou mais presentes; 92% irão presentear as mães, seguidos por 23% a sogra e 15% as esposas; e que 62% farão a compra do presente na semana da comemoração.
Lojas físicas ainda ganham da internet
 
A pesquisa apontou ainda uma mudança no local da compra. 90% irão comprar em lojas físicas, e apenas 10% usarão a internet. E dos que irão comprar em lojas físicas, 41% buscarão as lojas de rua e bairro. A opção por lojas de shoppings apresentou uma queda de 13p.p (de 43% para 36%).
 
Já quando perguntados sobre os tipos de presentes que irão comprar, a pesquisa observou um aumento significativo de 11 p.p na intenção de compra de itens de uso pessoal para presentear as mães neste ano. Eletrodomésticos, móveis e itens para casa registraram queda de 6 p.p. E subiu de 23% para 34% a compra de roupas e calçados. O que vai ao encontro ao desejo das mães. 
Mães querem roupas e sapatos
 
A afirmativa acima se dá, pelo fato de a Boa Vista ter perguntado exclusivamente para as mães qual a expectativa de ganhar presentes nesta data. Das mulheres com filhos, 74% possuem alguma expectativa em ganhar presentes nesta data. E mais, se pudessem escolher, os preferidos pela maioria seriam roupas, calçados e acessórios (26%), viagens (24%) e celular e smartphone (22%).
 
Do total, 5% vão se endividar pelas mães
Mas para comprar o presente é preciso ter renda, e neste quesito, 82% dos consumidores entrevistados disseram que farão uso de parte do salário para compra do presente do Dia das Mães. Outros 6% usarão recursos da poupança. E 5% uso de empréstimos. 3% usarão os recursos de contas inativas do FGTS para esta finalidade. 
 
Maioria pagará presente à vista
Realizada a compra do presente das mães, 77% dos consumidores irão comprar e pagar à vista. Destes, 39% utilizarão o cartão de débito, registrando crescimento de 8p.p em relação ao ano de 2016.
Entretanto, o dinheiro ainda será o tipo de meio de pagamento mais utilizado, com 50% das menções.
 
23% dos consumidores irão comprar o presente do Dia das Mães e pagar de forma parcelada. 87% utilizarão o cartão de crédito, um crescimento de 9p.p em comparação ao ano passado. O que comprova uma diminuição no uso de outros meios como boleto e cheque pré-datado.
Artigo AnteriorPróximo Artigo
Receba nossas novidades no seu e-mail.
Enviar