Arena Especial, Finanças Comportamentais

Apesar da crise, brasileiros estão otimistas sobre futuro financeiro, mostra BlackRock

juros_bolsa_inflação_ações_dólar_economia_investimentos

Mesmo diante de um quadro econômico complexo, 64% dos brasileiros disseram estar otimistas sobre seu futuro financeiro, resultado acima da média mundial, de 56%, segundo levantamento global da gestora de investimentos BlackRock. Como prioridade no orçamento doméstico local, os entrevistados citaram a economia para garantir uma vida confortável na aposentadoria.

A pesquisa apontou que 76% dos brasileiros estão confiantes que estão tomando decisões corretas sobre suas poupanças e investimentos, ante 63% dos latino-americanos e 53% da média global.

Os principais riscos financeiros citados no país estavam relacionados à situação da economia (62%), ao alto custo de vida (55%), aos aumentos nos impostos (49%), à inflação (48%) e à instabilidade política (46%).

“Apesar da volatilidade que vimos em 2015, que esperamos continuar este ano, fomos agradavelmente surpreendidos com o fato que os latinos mantiveram-se positivos e focados nas coisas certas quando se tratava de seu futuro financeiro”, conta o responsável pela BlackRock na América Latina e países ibéricos, Armando Senra.

A escolha das aplicações no Brasil

No Brasil, 65% dos entrevistados afirmaram que já começaram a poupar para a aposentadoria, mas ainda possuem uma concentração muito grande em dinheiro: 67%, contra uma média global de 59%, muito pouco em ações: 5%, em comparação com os 15% globais, e os mesmos 5% em títulos, ante 6% globalmente. Ainda assim, 73% disseram que estão muito confiantes sobre serem capazes de atingir o seu rendimento anual necessário na aposentadoria.

A pesquisa mostra que 18% dos brasileiros não estão familiarizados com outros investimentos, o que os impede de tomar melhores decisões de investimento. Quase metade (42%) possuem apenas poupança.

A BlackRock entrevistou 30,5 mil pessoas em 20 países. Na América Latina, foram Brasil, Chile, Colômbia e México. A amostra do Brasil somou mil entrevistados.

Artigo AnteriorPróximo Artigo
Receba nossas novidades no seu e-mail.
Enviar