Arena Especial, Educação Financeira

Ceia salgada: produtos natalinos estão 10% mais caros este ano em SP, diz Procon

natal_ceia_jantar

Os produtos para ceia de Natal estão mais caros este ano em relação ao ano passado, em média, 10,31%, revela pesquisa de preços realizada pela Fundação Procon-SP. O resultado foi obtido após comparação de 128 produtos neste ano e no ano passado. O IPC da Fipe, indicador da inflação geral na região, subiu 7,62% no período.O Procon pesquisou também as diferenças de preços entre os locais de compra e constatou alterações de mais de 100%.

A coleta foi realizada entre os dias 28 e 30 de novembro em dez supermercados distribuídos pelas regiões Norte, Sul, Leste, Oeste e Centro do município de São Paulo. Foram comparados os preços de 199 dos seguintes itens de diferentes marcas: azeites, bombons, carnes congeladas, lentilhas, conservas, farofas prontas, frutas em calda e panetones, chocotones e bolos de Natal.

Diferença de 136% no azeite e 79% no Panetone

A maior diferença de preços, 136,40%, é o azeite de oliva extra virgem reserva (vidro de 500 ml), da marca Gallo. Em um supermercado ele custava R$ 23,90 e em outro, R$ 56,50.

Dentre os itens mais consumidos na época de Natal, os panetones, a maior diferença encontrada foi no panetone de banana com canela (500g), da marca Village, 79,13%. Em um estabelecimento ele custava R$ 14,90 e no outro, R$ 26,69.

Do total dos itens divulgados, um supermercado da zona Norte foi o que apresentou a maior quantidade de produtos com menor preço (69 itens).

Dicas do Procon

A fim de reduzir o risco de levar produtos desnecessários, os especialistas do Procon-SP recomendam fazer uma lista dos itens que farão parte da ceia de Natal antes de ir às compras. Na hora da compra, é importante ler as embalagens e rótulos dos produtos, observando características, condições de conservação e informações nutricionais, além da data de validade.

As promoções divulgadas pelos estabelecimentos comerciais devem ser cumpridas, por isso é aconselhável guardar os folhetos e anúncios publicitários que comprovem as ofertas. Quando passar os produtos pelo caixa, observe os valores registrados. Havendo diferença entre o preço cobrado e o que estava informado na gôndola, prevalece o menor.

O consumidor encontra mais dicas no site do Procon-SP.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo