S&P: envelhecimento reduz crescimento na América Latina e exigirá mais produtividade

O envelhecimento da população na América Latina, depois de ajudar no desenvolvimento dos países nas últimas décadas, com o chamado “bônus demográfico”, deverá prejudicar o crescimento na região nos próximos dez anos e exigirá um aumento da produtividade das economias, segundo estudo da S&P Ratings.

Dívida de curto prazo das empresas em bolsa bate maior nível desde 2010 no 2º tri

As dívidas de curto prazo, com prazo inferior a um ano, de 213 companhias abertas brasileiras atingiram seus maiores níveis em seis anos no segundo trimestre deste ano, de acordo com levantamento da Economática. A parcela de dívida curta no total das dívidas das empresas passou de 17,9% em junho do ano passado para 20,8% neste ano, o maior percentual desde dezembro de 2010. O crescimento da dívida de curto prazo é um sinal preocupante pois pode criar dificuldades de caixa para as empresas.

UBS: PIB brasileiro deve ficar acima do esperado no 2º trimestre; melhora maior será em 2017

Os dados preliminares sobre o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil no segundo trimestre deste ano deverão apontar recuo de 0,2%, na base anual, melhor do que o esperado e acima do consenso de -0,6%, reforçando a tese de que a economia brasileira está fundo do poço, mas que sua recuperação pode surpreender. A análise é do UBS.

FMI recomenda que Brasil aumente impostos para complementar ajuste fiscal

O Brasil deverá aumentar impostos para complementar o ajuste fiscal, recomendou o Fundo Monetário Internacional (FMI). Em documento divulgado hoje, o FMI informou que o pequeno espaço para o Banco Central (BC) reduzir os juros aumenta a necessidade de o país buscar o equilíbrio nas contas públicas, tanto por meio de corte de gastos quanto por meio de elevações de tributos.

HSBC: reviravolta macroeconômica pode ser ponto de inflexão para empresas brasileiras

Na esteira das projeções positivas do HSBC para a América Latina, o Brasil obteve recomendação “overweight” ou “compra”, com desempenho acima da média de mercado, por parte do banco. Para os analistas, o país figura como boa oportunidade nos próximos 12 meses, puxado por uma possível reviravolta no cenário macroeconômico, o que representaria um forte ponto de inflexão nos lucros das companhias.

Após caos petroleiro com boicote da Arábia Saudita aos EUA, especialista vê barril em US$ 50

Na visão do especialista em petróleo e professor de Relações Internacionais da Universidade Federal do ABC Igor Fuser, a explicação para a forte queda do produto neste ano está relacionada à defesa do quase monopólio árabe do setor e o combate aos avanços tecnológicos dos Estados Unidos. Para ele, o petróleo deverá voltar aos US$ 50, com uma demanda forte de países como China e Índia.

Primeira capa da ‘Economist’ de 2016 traz ‘queda do Brasil’

A revista britânica ‘The Economist’ escolheu como seu primeiro tema do ano que vem a ‘queda do Brasil’. Com uma foto da presidente Dilma Rousseff de capa, a publicação diz que em 2016, ano em que o país deveria estar se preparando para dar uma festa espetacular nos Jogos Olímpicos, os brasileiros enfrentarão um desastre político e econômico.

Ministro da Fazenda da Argentina anuncia fim de controle cambial

O ministro da Fazenda da Argentina, Afonso Prat-Gay, anunciou nesta quarta-feira o fim das medidas de controle cambial, implementadas desde outubro de 2011 por Cristina Kirchner, durante seu segundo e último mandato presidencial. As medidas tinham como objetivo evitar a saída de divisas do país, mas, segundo Prat-Gay, tiveram o efeito contrário: desestimularam os investimentos, estancaram a economia e a criação de empregos, e produziram uma desvalorização de 230% na moeda argentina.

BlackRock: 75% dos brasileiros desejam poupar mais em 2015; 44% visam aposentadoria

Os brasileiros pretendem poupar mais dinheiro este ano, de acordo com uma pesquisa realizada pela gestora de recursos global BlackRock. Do total de entrevistados, 75% afirmaram que querem guardar mais recursos em 2015, outros 18% disseram que deverão manter seu nível atual, 5% devem resgatar a poupança. Os que querem guardar para a aposentadoria são 44%, o menor percentual da América Latina.

Standard & Poor’s: Brasil segura crescimento da América Latina em 2016

O Brasil deve puxar para baixo o crescimento da América Latina em 2016, segundo projeções da Standard & Poor’s Brasil. De acordo com Regina Nunes, responsável pelo escritório da agência de risco para a região, o país deve crescer de 2% a 2,5% em 2016, segurando o crescimento latino em um nível inferior a 3% no mesmo ano.

Receba nossas novidades no seu e-mail.
Enviar