Café na Arena: Fintechs devem revolucionar mercado financeiro e jeito de lidar com dinheiro

As Fintechs, empresas de tecnologia criadas para oferecer serviços de crédito, pagamentos, cartões e outros serviços, estão provocando uma revolução no mercado financeiro e nos meios de pagamento do país, afirma Fausto Ferraz, direto geral da consultoria ControlBanc. Em entrevista ao Café na Arena, Ferraz explica que essas jovens empresas, que oferecem plataformas altamente tecnológicas, mas ao mesmo tempo muito simples de usar e práticas, estão cada vez mais ocupando os espaços ocupados pelos grandes bancos na oferta de serviços como empréstimos ou cartões de crédito ou pagamentos via internet.

Café na Arena: fundos de recebíveis crescem com retração de crédito e Basileia 3

O aperto de liquidez nos bancos, que estão evitando aumentar os empréstimos para as empresas, levou a um aumento do interesse pelas operações de crédito estruturado, como as vendas de recebíveis e os fundos de direitos creditórios (Fidc) este ano, afirma Carlos Fagundes, sócio fundador da Integral Trust. Ele diz que as normas de Basileia 3 devem limitar o crédito nos bancos e incentivar ainda mais o mercado de capitais no futuro.

Café na Arena: quase um milhão de empregados recusam dinheiro das empresas para aposentadoria, diz Abrapp

Ao menos 900 mil pessoas que trabalham em empresas que possuem fundos de pensão deixam de receber dinheiro extra das companhias por não participarem dos planos de previdência que elas oferecem. A estimativa é de José Ribeiro Pena Neto, presidente da Abrapp. Em entrevista ao Café na Arena, ele falou sobre o déficit do setor, os desvios de recursos, as falhas dos representantes dos funcionários e a necessidade de melhorar as regras dos fundos de pensão.

Café na Arena: economista dá dicas para investir e enfrentar a crise e o desemprego

O momento é de crise e a coisa não vai melhorar tão cedo. O alerta é do economista Alexandre Espírito Santo, professor do Ibmec Rio e economista-chefe da Órama Investimentos. Ele faz um alerta especial para os jovens que estão se formando agora e que nunca viram uma crise como a atual. E dá sugestões para quem teme perder o emprego para fazer uma reserva de emergência ou quem quer investir.

Café na Arena: união Cetip Bovespa reforça monopólio e pode elevar custos, diz presidente da ATG

A união entre a BM&FBovespa e a Cetip, anunciada recentemente, vai provocar uma união de dois monopólios e uma concentração de duas empresas que já têm margens muito alta, o que é muito bom para os acionistas das companhias, mas ruim para o mercado brasileiro. A avaliação é do empresário Arthur Pinheiro Machado, sócio e presidente da Américas Trading Group (ATG), empresa que está montando uma nova bolsa de valores no Brasil.

Café na Arena: dificuldade em abrir nova bolsa prejudica mercado brasileiro, diz presidente da ATG

A demora na entrada em operação de uma nova bolsa de valores no Brasil afeta a coletividade do mercado, como corretoras, investidores e pessoas físicas, que não têm acesso a uma alternativa de liquidez e de competição de serviços. A avaliação é do empresário Arthur Pinheiro Machado, sócio e presidente da Americas Trading Group (ATG), empresa que está montando uma nova bolsa de valores no Brasil.

Café na Arena: cuidados com casamento, separação, heranças, impostos e invalidez

Casamento, separação, filhos, herança, invalidez, morte: você está preparado para todos esses grandes eventos de sua vida? A advogada Adriana Chieco, do escritório Chieco da Costa Advogados, faz uma lista de cuidados que se deve tomar para evitar problemas que surgem com o passar dos anos e que podem colocar em risco não só o patrimônio, mas a estabilidade da própria família.

Café na Arena: com Dilma, recessão pode durar até 2017, alerta Sergio Vale, da MB Associados

Para Vale, se a presidente sair este ano, é possível começar a ver alguma recuperação em 2017. Se ficar, 2017 fica complicado e pode ser o terceiro ano consecutivo de recessão, um fato inédito na história do país. Com Dilma até 2018, o ajuste fiscal terá de ser brutal para quem a suceder. Considerando o déficit primário de 2% do PIB e os 5% necessários de superávit necessários para reduzir a dívida, o país teria de fazer um ajuste fiscal de quase 7% do PIB, o que levaria a uma recessão cavalar.

Café na Arena: brasileiro pode ter saudades de 2015, alerta Celso Toledo, da LCA Consultores

Podemos ter saudade de 2015. A conclusão é de Celso Toledo, economista e diretor da LCA Consultores. Em entrevista ao Café na Arena, ele afirma que a situação econômica do país é muito ruim, em um cenário em que a crise política muito profunda contamina as expectativas e a confiança, faz a economia afundar e afeta a política negativamente, em um círculo vicioso.

Café na Arena: com piora da Previdência Social, consultor diz como preparar a aposentadoria

A Previdência Social passa por um aumento drástico do déficit que pode comprometer as contas públicas e colocar em risco os benefícios dos aposentados, alerta José Raymundo de Faria Junior, sócio diretor da Wagner Investimentos. Em 1988, lembra ele, o déficit somente do regime do INSS era de 2,5% do Produto Interno Bruto (PIB). Agora, está indo para 8% em 2016, ou seja, o rombo está mais que triplicando em proporção ao tamanho da economia brasileira. Ele faz alguns cálculos sobre quanto guardar para ter um benefício de R$ 1 mil.

Café na Arena: limpe seu nome e fuja das dívidas com as dicas da Boavista SCPC

O Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) surgiu há 60 anos na Associação Comercial de São Paulo para centralizar informações de compradores inadimplentes. Hoje, tornou-se uma empresa independente, a Boavista SCPC, que reúne em seu banco de dados não só informações de atrasos como também dados e estatísticas que ajudam as empresas a planejarem seus negócios. Além disso, ao dar mais confiança para lojistas e bancos emprestarem, o SCPC ajudou a aumentar a oferta de crédito da economia.

Café na Arena: presidente da Ancord diz como as corretoras driblam as dificuldades de uma bolsa em baixa

As corretoras de valores independentes, não ligadas a bancos, enfrentam uma situação delicada pois têm muita dependência do mercado de capitais, que passa por um momento difícil que já dura bastante tempo, afirma Caio Villares, presidente da Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Valores (Ancord). O motivo é simples: se acumulado desde o Plano Real, em 1994, até setembro deste ano, o retorno da aplicação em ações representa apenas um terço do obtido no CDI no período. Ele fala das opções que as corretoras têm pela frente e também da fusão da BM&FBovespa.

Café na Arena: sustentabilidade tem de ir além da ecologia e do marketing, diz consultor

Sustentabilidade não é só cuidar de passarinho ou fazer um belo relatório de fim de ano com criança empinando pipa na capa que ninguém consegue entender. É um assunto que passa pela própria sobrevivência de longo prazo das empresas e vai cada vez mais ganhar importância para o investidor em ações. A avaliação é de Marco Antonio Fujihara, especialista em sustentabilidade e sócio da Key Associados.

Café na Arena: regras de fundos mudam, confira as principais novidades com Carlos Takahashi

Entram em vigor em 1º de outubro as instruções 554 e 555 da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) , que definem novas regras para os investidores qualificados e para os fundos de investimentos. As novas instruções trazem duas importantes mudanças, a possibilidade da criação de fundos de renda fixa simplificados e mais baratos e a maior facilidade de aplicações no exterior, explica Carlos Massaru Takahashi, vice-presidente da Anbima e responsável pela BB DTVM, maior gestora do mercado. Em entrevista ao Café na Arena, Takahashi fala dessas e de outras mudanças.

Café na Arena: Mauro Calil dá dicas sobre quando começar e como organizar a aposentadoria

E não dá para confiar apenas na previdência pública, alerta o consultor. “Brincamos no mercado que a sigla INSS quer dizer Isso Nunca Será Suficiente”, afirma Calil. Mas, hoje, mesmo os planos de previdência privada, como PGBL e VGBL e os planos patrocinados pelas empresas, se mostram insuficientes. Calil sugere fundos imobiliários e ensina como aplicar em bolsa sem risco.

Café na Arena: gestoras independentes apostam em investimentos diferenciados

Gestoras independentes precisam se diferenciar do que oferecem os grandes bancos para conquistar investidores. No caso da Fator Administração de Recursos (FAR), a opção são os fundos multimercados com aplicações no exterior, os fundos de ações de empresas de menor porte e de dividendos e carteiras imobiliárias, explica seu diretor-geral, Fabio Moser.

Café na Arena: hora é de evitar riscos e aproveitar os juros altos da renda fixa, diz Fernando Meibak

A hora é de poupar e evitar riscos, pois o cenário econômico vai piorar muito. O alerta é de Fernando Meibak, consultor e ex-diretor do HSBC. Para quem tem recursos para aplicar, porém, o momento é muito bom, pelos juros elevados pagos na renda fixa. Ele recomenda distância da bolsa e de fundos imobiliários.

Café na Arena: Ex-BC Luiz Fernando Figueiredo vê Brasil barato e juro de 14% no fim do ano

Os ativos financeiros no Brasil estão muito baratos para o investidor com visão de longo prazo, incluindo as ações de diversas empresas em bolsa, imóveis, sem falar nos títulos públicos, com taxas acima de 6% ao ano além da inflação, uma aplicação que não existe em nenhum lugar do mundo. A avaliação é de Luiz Fernando Figueiredo, ex-diretor do Banco Central (BC) e sócio da Mauá Sekular Investimentos, uma gestora de fundos independente, em entrevista ao Café na Arena. Ele vê um processo de fortalecimento das instituições e dificuldades para o país nos próximos dois anos, que serão de ajustes tanto fiscais quanto nas contas externas e na inflação.

Café na Arena: operação que “deu ruim” inspirou engenheiro a criar curso para ganhar no mercado

A paixão do engenheiro Rodrigo Cohen pelo mercado financeiro começou graças ao pai, que sempre gostou de fazer negócios com opções, hábito que mantém até hoje, aos 81 anos. Depois de construir uma carreira na área de tecnologia, resolveu mudar de vida e trabalhar no mercado de ações. Mas um erro de mercado acabou levando Cohen a se especializar mais e passar a ensinar aos outros investidores como ganhar dinheiro.