Após balanço do 2º tri, UBS e Ativa indicam “compra” de Petrobras e BB, “manter”

Bancos e corretoras gostaram do resultado da Petrobras no segundo trimestre, apesar de o lucro ter caído e os problemas de alto endividamento continuarem. O UBS e a Ativa Investimentos indicam hoje em relatório a “compra” dos papéis da Petrobras, enquanto o BB Investimentos recomenda “manter” o papel da empresa.

J.P. Morgan e Credit Suisse aumentam recomendação para ações brasileiras

Dois importantes bancos internacionais, o americano J.P. Morgan e o suíço Credit Suisse, aumentaram hoje as recomendações para ações brasileiras. O banco americano cita diretamente a possibilidade de saída da presidente Dilma Rousseff, falando em um novo equilíbrio político que mudaria o “modus operandi” do governo para uma postura mais liberal versus a atual, intervencionista. Já o CS aumentou a recomendação para a bolsa brasileira e reduziu a da Índia.

Suzano lidera última carteira de ações recomendadas de 2015

Diante do cenário econômico brasileiro minguante, as empresas com foco em exportação lideraram as indicações das corretoras na última carteira de ações recomendada do ano. Suzano Papel ficou em primeiro lugar na lista mensal e recebeu nove recomendações de um total de 12 corretoras que enviaram suas carteiras ao Blog Arena.

Suzano Papel e Ambev lideram recomendações de corretoras em outubro

As ações preferenciais da série A (PNA) da Suzano Papel e as ordinárias (ON, com voto) da Ambev lideraram as indicações de 12 corretoras que enviaram suas sugestões para outubro para o Blog Arena. Suzano teve oito indicações e Ambev, sete. Os analistas estão mais conservadores e fizeram mais indicações de empresas voltadas para o mercado interno e do sistema financeiro.

SulAmérica: com cenário conturbado, prefixados são favoritos até 2016

Com um cenário doméstico conturbado, em meio às instabilidades políticas e econômicas do Brasil, a tendência é que os ativos prefixados, como os títulos oferecidos pelo Tesouro Nacional, rendam os melhores prêmios aos investidores nos próximos 12 meses. A afirmação é do vice-presidente da SulAmérica Investimentos, Marcelo Mello.

Gestores recomendam dez ações de valor para 2015

Mesmo com um entusiasmo menor entre os investidores pelo mercado acionário, gestores de fundos que seguem os conceitos do investimento em valor de Benjamin Graham e Warren Buffett conseguem encontrar pechinchas em papéis de empresas de menor porte, ou “small caps”. Principalmente neste período de desaceleração econômica.

Goldman Sachs recomenda a venda das ações da Petrobras e vê exagero na alta do petróleo

O banco americano de investimentos Goldman Sachs mudou a recomendação para as ações da Petrobras de “manter” para “vender”, considerando que o preço do petróleo Brent deve ficar 16% abaixo do que projeta a curva média do mercado futuro internacional. Além disso, o banco destaca a projeção da empresa, de crescimento mais moderado da produção de petróleo no ano, de apenas 3%. O preço justo da ação ON (ordinária com voto) passou de R$ 12 para R$ 10, queda de 17%. O preço da ação PN (preferencial sem voto) passou de R$ 10 para R$ 8,10, uma redução de 19%.

Mesmo com revisão de crédito para 2015, corretoras indicam compra dos papéis do Itaú

A mudança das projeções de crescimento do crédito do ItaúUnibanco para este ano parece não ter prejudicado a avaliação dos analistas sobre as ações do banco. De 6% a 9%, as estimativas para o crédito caíram para 3% a 7% em 2015. Em relatório, a corretora Concórdia manteve sua recomendação de compra para o papel, principalmente para carteiras de longo prazo, com preço-alvo de R$ 39,43. A mesma indicação foi dada pelos analistas do Deutsche Bank, com preço-alvo de US$ 14.

Analistas recomendam venda de ações da Marisa; varejista teve prejuízo de R$ 5,3 milhões no 1º tri

Os esforços da Marisa em se adequar às perspectivas de redução da demanda no varejo não foram suficientes para evitar um prejuízo de R$ 5,3 milhões no primeiro trimestre de 2015. Mesmo com um reposicionamento de preços e uma melhora da eficiência operacional, a companhia recebeu recomendação de venda da corretora Concórdia e do Deutsche Bank, que estimam preço-alvo para o papel de R$ 13,51 e R$ 14, respectivamente.

Mesmo com troca de diretoria, Itaú mantém recomendação do BB com preço justo de R$ 34

Apesar das recentes mudanças na diretoria de Finanças e de Relações com Investidores do Banco do Brasil, a ItaúCorretora manteve sua recomendação para as ações do banco público com preço justo de R$ 34. Segundos os analistas Thiago Batista e Guilherme Costa, a troca de executivos não interfere em questões prioritárias na instituição como lucratividade, eficiência e controle de qualidade dos ativos.

Citibank vê espaço para alta do preço do aço, mas manda vender ação da Usiminas

Com base na desaceleração da economia doméstica e no ajuste dos preços do aço à desvalorização do real, a corretora do Citibank mudou suas estimativas para companhias do setor siderúrgico e alterou a recomendação de Usiminas para vender. Segundo relatório da casa, a demanda por aço no país deverá recuar 5% este ano, mas mesmo assim os preços do aço devem subir, 5%, pela paridade com os preços internacionais, a partir de abril, pois já teriam batido no fundo do poço. O preço pode subir ainda mais 5% a 10% se o dólar chegar a R$ 3,50.

Imóveis comerciais: Itaú prevê mais vacância no curto prazo e reduz preço-alvo de BR Properties e São Carlos

Diante do quadro de desaceleração econômica no país, as estimativas de aumento das taxas de vacância no segmento de escritórios são de 24% neste ano e 25% em 2016, em São Paulo. Só na BR Properties, especializada em imóveis comerciais, a taxa de vacância física esperada é de 9,3%, segundo relatório da corretora de ações do Itaú Unibanco.

Receba nossas novidades no seu e-mail.
Enviar