Ações, Ações na Arena

IMA-B indica perda recorde de 9,7% no dia para NTN-B longa; prefixados caem 3,48%

fundos_investimentos_aplicacoes_dinheiro_bolsa

Os juros dos papéis do Tesouro subiram hoje, refletindo o aumento da preocupação com a taxa de juros e com o ajuste fiscal após as denúncias envolvendo o presidente Michel Temer, e que ameaçam derrubar o governo. Os papéis corrigidos pela inflação, as NTN-B, com juros no final, tipo Principal, passaram de 4,99% a ano ontem para 6,01% hoje no vencimento 2024 e de 4,97% ao ano para 5,9% ao ano mais IPCA. Já os papéis prefixados, as LTN, para 2021, subiram de 9,54% ao ano para 11,39%. Para 2023, a alta foi de 9,91% para 11,76% ao ano.

A forte oscilação fez o Tesouro Direto adiar a abertura das operações, até que as cotações se estabilizassem. O Tesouro adiou o leilão semanal de títulos previsto para hoje.

Com a alta dos juros, os preços dos papéis caem e o investidor têm perdas em seu patrimônio. Mas essa perda é virtual e só se torna efetiva se o investidor vender o papel hoje, pelo preço de mercado. Caso continue com ele até o vencimento, vai receber exatamente a taxa da aplicação. Mas, a perda vai aparecer nas cotas de hoje dos fundos de renda fixa e nos multimercados que investem nesses papéis, assim como nos saldos o Tesouro Direto.

IMA mostra a média das oscilações

Uma boa forma de acompanhar o impacto dessas oscilações dos juros é observar o Índice de Mercado Anbima (IMA) série B, que acompanha os preços de todas as NTN-B do mercado e faz uma média. Além do IMA-B há o IMA-B 5, que acompanha os preços dos papéis de até cinco anos de prazo, e o IMA-B 5+, dos com prazo acima de 5 anos. Quanto maior o prazo, maior o impacto da variação dos juros no preço do papel. Há ainda o IMA-Geral, que reúne todos os títulos do Tesouro, o IMA-S, que pega os papéis corrigidos pelo juro diário da Selic e o IRF-M, que só pega os prefixados.

IMA geral têm recorde de queda

Hoje, o IMA-Geral, calculado pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), que reflete a carteira de títulos públicos em mercado, registrou desvalorização de 3,67%, a maior da série histórica iniciada em 2003.

IMA-B tem perda recorde

A perda mais significativa foi registrada na carteira das NTN-Bs, refletida pelo IMA-B, que recuou 7,52%. O IMA-B5+, que reflete as NTN-Bs com prazo acima de cinco anos, apresentou queda de 9,73%, enquanto as de até cinco anos recuaram 2,72%. As quedas também são recordes das séries históricas.

Prefixados perdem até 4,51%

O IRF-M, dos títulos prefixados, apresentou redução menos significativa, de 3,48%. Os títulos de prazo acima de um ano, representados pelo IRF-M1+, e os de até um ano, expressos pelo IRF-M 1, sofreram perdas de 4,51% e 0,49%, respectivamente.

A única variação diária positiva foi do IMA-S, que reflete a trajetória da carteira das LFTs (títulos pós-fixados) em mercado, que valorizou 0,04%.

Os resultados de hoje reverteram a performance positiva que os índices acumulavam no mês e reduziram as valorizações observadas neste ano. Mesmo assim, no ano, tanto os índices dos prefixados quanto dos corrigidos pela inflação ainda têm ganhos (ver tabela abaixo).

IMA  –  Índice de Mercado ANBIMA (18/05/17)

Índice

Variação Diária (%)

Variação Mensal (%)

Variação Anual (%)

Variação Últimos 12 Meses (%)

Variação Últimos 24 Meses (%)

IRF-M

1

-0,49

0,18

4,55

13,35

30,14

1+

-4,51

-3,05

3,98

15,77

34,06

TOTAL

-3,48

-2,22

4,12

14,91

32,38

IMA-C

TOTAL

-5,69

-4,01

1,36

3,68

25,28

IMA-B

5

-2,72

-1,83

2,91

10,01

29,67

5+

-9,73

-6,29

0,71

10,13

27,91

TOTAL

-7,52

-4,87

1,36

9,79

27,70

IMA-S

TOTAL

0,04

0,55

4,44

13,27

29,05

IMA-GERAL

TOTAL

-3,67

-2,18

3,38

12,59

29,66

Artigo AnteriorPróximo Artigo
Receba nossas novidades no seu e-mail.
Enviar