Bolsa fraca faz BlackRock fechar três fundos iShares: Imobiliário, Utilidade Pública e Consumo

A gestora convocou assembleias para encerrar os iShares Imobiliário (MOBI11), de Consumo (CSMO11) e de Utilidade Pública (UTIP11). O patrimônio desses fundos era baixo, R$ 1,792 milhão o Imobiliário, R$ 10,7 milhões o de Consumo e R$ 4,1 bilhão o de Utilidade Pública, o que explica a proposta de encerramento das carteiras, que sofreram também pelos problemas específicos das empresas de seus setores, notadamente as do setor imobiliário e do setor elétrico e de saneamento.

Governo mudará tributação do come-cotas e abrirá espaço para ETF de renda fixa

O ministro Guido Mantega anunciou hoje que o governo vai eliminar o imposto semestral, chamado de come-cotas, para os fundos de renda fixa com cotas negociadas em bolsa, os ETF. O imposto antecipado, cobrado antes do resgate, impossibilitava o lançamento dos ETF de renda fixa pela dificuldade em conciliar os pagamentos com os negócios das cotas no mercado.

Investidor com mais de R$ 1 milhão poderá aplicar no S&P 500 no Brasil

Os investidores superqualificados, com no mínimo R$ 1 milhão para aplicar, têm agora a opção de investir no Índice Standard & Poor’s 500 (S&P 500), da Bolsa de Nova York, sem tirar o dinheiro do Brasil. Desde ontem, a BM&FBovespa autorizou a negociação de cotas de um Exchange Traded Fund, ou ETF, que reproduz a carteira de 500 papéis do S&P 500.

CVM regulamenta os ETFs de renda fixa

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) divulgou hoje a instrução 537/13, que regulamenta a criação de fundos com cotas negociadas em bolsa (ETF, na sigla em inglês) de renda fixa. Até hoje, somente índices de ações podiam ser usados para montagem de ETFs. Mas ainda há questões tributárias que impedem a criação dessas carteiras.

Receba nossas novidades no seu e-mail.
Enviar