Ações na Arena, Índices

Aí vem os chineses e seus US$ 6,9 tri de ações: MSCI terá ações locais da China

China_yuan_dinheiro

Os chineses vêm aí, com seus US$ 6,9 trilhões de ações negociadas em bolsa. A empresa internacional de índices de ações MSCI Inc. anunciou hoje que vai incluir em seus indicadores de mercados emergentes os papéis das empresas negociadas no mercado chinês apenas. Os índices da MSCI são usados como referência para as carteiras de ações de grandes gestores internacionais, fundos de pensão e fundos indexados.

Hoje, os índices da MSCI já incluem ações de empresas chinesas, mas somente as listadas em Hong Kong e Nova York, mas não as do mercado local. A MSCI estima que 222 companhias poderão ser incluídas no índice de emergentes, elevando a parcela chinesa de 28% para 28,73% no índice. As mudanças afetarão também o índice que reúne todos os países do mundo, o MSCI All Country.

Com a medida, investidores do mundo inteiro devem começar a olhar com mais atenção para esses papéis, especialmente os fundos indexados a índices, com cotas negociadas em bolsa, os ETF, que hoje já superam em volume a compra direta de ações. Isso, aumentará o interesse por esses papéis por parte dos investidores em mercados emergentes. A medida poderá ajudar ainda no processo de conversibilidade do yuan, tornando a moeda chinesa mais internacionalizada.

A entrada das ações chinesas se dará em duas etapas. A primeira, em maio de 2018 e a segunda, em agosto do ano que vem. Hoje, estrangeiros podem negociar 1.400 ações domésticas, autorizadas pelo governo chinês nos mercados de Xangai e Shenzhen. Com a medida, os fundos de índices de emergentes poderão aplicar automaticamente seus recursos no mercado chinês. Hoje, apenas 1,5% dos negócios nas bolsas chinesas são de estrangeiros.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo